APARTAMENTO NO PARQUE GUINLE

Este projeto conta a história do encontro dos cobogós em um apartamento no edifício Caledônia, originalmente desenhado pelo arquiteto Lúcio Costa. Os elementos vazados, outrora separados, passam a ficar face a face, unidos pelo piso contínuo de peroba do campo, e por um modo de vida contemporâneo, que se distingue radicalmente daquele do tempo em que foram criados, tempo áureo da arquitetura Moderna brasileira.

No projeto original do edifício, ao entrar pela área de serviço acessava-se o corredor dos cobogós quadrados brancos, sempre bem iluminado, principalmente pelas manhãs. Por lá se distribuíam as dependências de serviço. Ao final do corredor encontrava-se a cozinha, por onde chegava-se a uma pequena copa que funcionava como transição entre as áreas de serviço e a sala.

Na sala, de frente para o Parque Guinle, dava para ver o verde do flamboyant passando entre os vazados redondos do cobogó cerâmico. A penumbra da iluminação, o piso de madeira e a amplidão do espaço conferiam conforto àquele ambiente.

A ruptura drástica entre sala e cozinha demonstrava as relações sociais e modo de vida daquele tempo. Mas, como o tempo das pessoas é diferente do tempo das construções, essas ficam facilmente desatualizadas.

A premissa básica do projeto foi criar um espaço em que o ato de cozinhar, uma das atividades favoritas dos atuais moradores, pudesse ser integrado às demais áreas de convívio.

Propôs-se então abrir completamente a cozinha para a sala, e redimensionar a área de serviço e dependências. Agora, sem rupturas drásticas, não havia mais divisão entre banheiros de serviço e social. A área é dimensionada para ser funcional, e dependências são substituídas por uma grande cozinha-sala de jantar, integrada à sala de estar pelo piso contínuo de tacos de peroba do campo. Face a face, cobogós antes tão distantes permitem que uma outra dinâmica se instale naquele espaço. O vento, mais do que nunca, corre fluidamente de leste a oeste. A sala agora mais iluminada de manhã pela luz que vem dos cobogós brancos, a cozinha, mais aconchegante pelas sombras circulares dos raios de pôr do sol projetados no piso.

Projeto: Estúdio Guanabara

Construtora: CSV Engenharia

Localização: Parque Guinle, Rio de Janeiro

Ano do projeto:  2017

Categoria:  Projeto de arquitetura

Fase: Obra finalizada

Veja também