CÉU ABERTO

Bomba, luta e remoções na implantação de um muro Olímpico na Zona Oeste do Rio de Janeiro. De 780 famílias, as 20 que resistiram na Vila Autódromo sustentam um modo de existência vinculado à terra e ao cuidado coletivo. O projeto Céu Aberto (memória, arte e arquitetura) chegou depois desta turbulência e se deparou com a perpetuação da disputa territorial, agora em um silencioso estado pós-conflito. O pedido aos arquitetos fora de uma placa durável para marcar a re-existência da Vila na franja com a autoestrada e disputar a fronteira física e simbólica marcada pela nova grade de metal. Vazada e verde, ela simula uma leveza e invisibilidade, ainda que tenha dividido violentamente a cidade.

De uma placa passamos para uma praça ou um monumento horizontal com novas bandeiras hasteadas sobre a grade existente. Passagem que se fez através de um processo colaborativo, que conectou a arquitetura aos afetos dos habitantes a partir do agenciamento com práticas da dança e das artes plásticas. Foram realizadas duas oficinas corporais com a comunidade para provocar memórias e desejos e fazer ecoar vozes não tão evidentes.

O apelo ao corpo desencadeou novas vontades e estratégias de atuação. Se antes o objetivo era anunciar uma re-existência agora o desejo era favorecer a prática de convívio como luta. As esquinas perdidas, a opressão à manifestações coletivas como o hasteamento de bandeiras e a troca da terra por asfalto nortearam a opção pela praça. O círculo de pedra, singelo e pouco pronunciado na paisagem Olímpica, reocupa aquela terra e provoca a sua fronteira com os sentidos de coletividade, convívio e cuidado inerentes às práticas antes ali existentes.

Para mais informações sobre o projeto, acesse o link

https://www.goethe.de/ins/br/pt/kul/sup/mem/ciu/rio.html

Projeto Futuro da Memória, Goethe Institut

Eixo Espacialização: Estúdio Guanabara  e Terceira Margem

Curadores: João Paulo Quintella, Shana Santos, Igor Vidor e Glyce Kelly Heitor

Artistas:  Kammal João, Cristina Ribas, Lucas Sargentelli, Ivo Godoy, Guga Ferraz, Pollyana Quintella

Localização:Vila Autódromo, Rio de Janeiro

Área: 100 m²

Ano do projeto: 2017

Categoria: Projeto urbano, ativação urbana

Fase: Obra finalizada

Veja também